quinta-feira, 18 de abril de 2013

Ó pra elas, tão esquisitinhas que são

Senhoras, senhoras, senhoras... lá estão vocês com as vossas tangas... Então eu publico uma foto do Jude Law, a quem até eu faço aqui uma vénia de tão giro que o gajo é, e na caixa de comentários começam logo a aparecer ladies esquisitinhas com o clássico argumento "ah, e tal, ele até é demasiado bonito". Demasiado bonito? O que é isso de "demasiado bonito"?

Ouçam, a nós, gajos que não foram particularmente abençoados pela natureza, essa treta do "demasiado bonito" dá-nos a volta à tripa. Sim, porque vocês, mulheres, não ligam nada, nada, nada à beleza exterior. O que vos interessa é a "beleza interior". E o sentido de humor. E a beleza dos dedos das mãos. Que grande tanga. Até me veio logo à memória um texto que escrevi há imenso tempo sobre esse tema, chamado "As mãos, os dentes e o sentido de humor". Ora tomem:

Eu passei a adolescência no top ten dos miúdos mais desinteressantes da minha escola. Além de a natureza não me ter bafejado com um rosto de estátua grega, vá-se lá saber porquê, ainda teve o descaramento de me plantar um par de incisivos no céu da boca, oferecendo-me duas fileiras de dentes, como os tubarões. Só que em Portalegre não há mar, nem sequer estudantes de biologia, e portanto passei boa parte dos meus anos do secundário a ser caridosamente enxotado por todas as miúdas giras da Mouzinho da Silveira.

Havia dois tipos de miúdas. As que pura e simplesmente me desprezavam e as que não me desprezavam porque nem sequer chegavam a reparar em mim. Admito que hoje em dia a minha situação não tenha mudado muito, e que eu continue tão desinteressante como no tempo em que a acne fazia exportações para o estrangeiro a partir da minha cara. Mas, pelo menos, descobri as maravilhas da ortodontia e uma bela mulher com alma de missionária, que se interessou pelo meu caso como se eu fosse um refugiado escanzelado no domínio dos afectos.

Tendo em conta este triste retrato biográfico, compreende-se que nada me irrite mais do que aquela maldita pergunta que insistem a fazer às mulheres em tudo o que é inquérito de revista: “diga-me, o que é que mais gosta num homem?” Cada vez que me deparo com essa bela formulação, há logo um suor frio que me trepa pela espinha. Porque a verdade, meus senhores e especialmente minhas senhoras, é que eu já conheço as respostas a essa pergunta. Que são, basicamente, duas. E ambas são mentirosas. (Antigamente eram três, porque se dizia muito “os olhos”, mas os olhos já estão um bocado batidos e saíram de moda, felizmente.)

Eis as duas alternativas:

1) “O sentido de humor”, que se pode desdobrar em frases como “o que eu mais gosto num homem é que ele me faça rir” (e aqui sinto uma pontada na barriga).

2) “As mãos”, no caso de elas quererem fugir à resposta óbvia e serem mais dadas à poesia ou a outras coisas (e aí rebenta-me a úlcera).

Qualquer uma destas respostas provoca-me desarranjo intestinal e convoca de imediato todas as minhas memórias de adolescência, todas as vezes que levei uma tampa de uma miúda, todos os actos de desprezo que sofri só por ser tímido, não me saber vestir e ter dois dentes pregados no palato.

Sentido de humor e mãos? Uma aldrabice pegada. Modéstia à parte, eu até tenho mãos de pianista, dedos longos e pele fina, preservada da apanha da azeitona. E no entanto, não me recordo de as minhas mãos terem tido nos anos 80 grande utilidade na sua relação com o sexo feminino, para além de chuchar no dedo. Quanto ao sentido de humor, também nunca estive mal servido, graças a Deus, e ainda consigo fazer rir a minha avozinha. Mas nem isso me impediu de ter passado quatro ou cinco anos a ser olimpicamente ignorado pelo cromossoma X.

Portanto, minhas senhoras, fica aqui um apelo: deixem por favor de dizer que aquilo que mais apreciam num homem é o seu sentido de humor. Toda a gente aprecia o sentido de humor, com certeza. Mas ele tem muito mais graça no George Clooney e no Brad Pitt. Há milhares de rapazes com dentes tortos que continuam por aí – e eles têm direito a uma dose mínima de sinceridade.

Pffff... demasiado bonito

27 comentários:

  1. Oh caramba, o que eu sofro com este tema... Eu juro juro juro que o que mais gosto num homem é o sentido de humor (aliás, se a isso juntarmos a inteligência pouco mais me interessa)... Acontece que o meu homem é giro que se farta e sempre que digo isto quase consigo ler a mente de quem me ouve: "Pois, pois..."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahah!! Oh cum caraças... Mas como?? Como é que eu hei-de resolver isto?? Tem de haver maneira de eu conseguir provar o que digo sem demasiados danos para a minha vida conjugal...

      Eliminar
    2. Eis uma fã incondicional do Jô Soares !

      eheheheheh

      Eliminar
    3. Eeeeeeerrr!! Hum!!... Pois!! Às tantas vai na volta e também aprecio que consigam tomar banho sozinhos!... Esqueci-me de mencionar isso! :)

      Eliminar
  2. Ui! O que eu me ria se o Jude Law me contasse uma piada :) Até meia...

    ResponderEliminar
  3. Mas refere-se aos tempos em que era adolescente! Os adolescentes muitas vezes - direi mesmo, quase sempre - não têm a muita capacidade de ver realmente as pessoas para além do que parecem ser... e isto aplicasse quer a raparigas ou rapazes. (Há dias um amigo queixava-se também de ter sido ignorado pelas miúdas da idade dele na adolescência mas depois chegou a conclusão que também não ligava nenhuma às miúdas que não eram bonitas...)

    Se o João Miguel Tavares não tivesse tido a sorte de encontrar uma mulher para a vida em tão tenra idade, talvez visse as coisas por outro prisma. (Aliás, mesmo assim, se era assim tão pouco abonado pela natureza no aspecto fisico e só isso é que importa, como é que conseguiu conquistar a Teresa?)


    E, de qualquer forma, isto tudo não muda o facto de, para algumas mulheres, o Jude Law, apesar de ter umas boas mãos (que até tem) e um bom queixo (tem, sim senhor) ter pouco ou nenhum sex appeal...

    ResponderEliminar
  4. Muito bom, mas não é nenhum Ryan Gosling

    ResponderEliminar
  5. Por acaso eu até acho o Jude Law um dos tipos mais giros do universo. Se tiver mãos bonitas (nunca reparei) e se tiver sentido de humor...céus, o homem é perfeito

    ResponderEliminar
  6. Eu também considero o Jude Law assim uma coisa do outro mundo, mas que está muito longe, tipo noutro planeta. Entretanto lá me fui encantar também por um tipo de Portalegre, terra de boas gentes (ou não fosse no Alentejo), que passou também pela E.S. Mouzinho da Silveira e, ao que parece, até se devem ter encontrado por lá, apesar de ele ser uns 2 ou 3 anos mais novo que o JMT.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É com certeza, ou não fosse meu marido.

      Eliminar
  7. Mas se gostássemos todo(a)s do azul o que seria do amarelo? Pois eu acho que os homens assim tão bonitinhos não são muito atraentes, não. Veja-se o Harrison Ford (se nos abstrairmos do facto de já estar nos 70 anos ou lá perto). Não é uma face perfeita nem uma beleza grega. Mas tem ali o toque de rudeza q.b. É difícil de explicar, mas não é melhor saber que perfeição a mais chateia? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Harrison Ford também tem covinha no queixo... E um olhar terno que até derrete. E inflexões na voz que arrepiam e aquecem. A cena da lição de dança no filme "A Testemunha" é do mais hot sem qualquer atrevimento físico, não acham?

      Eliminar
    2. Sim, sim, o Harrison Ford!
      Eu também me encontro do grupo das mulheres que preferiam mil vezes o Harrison Ford com 70 anos do que o Jude Law...

      Eliminar
  8. Não concordo em quase nada!
    Não que isso interesse muito, mas, é verdade ...se conhecermso um homem lindo de morrer mas sem piadinha e com umas mãos que "valha-nos Deus"...ah e comigo também funciona os sapatos sujos...pronto...já era!
    A beleza não é tudo meu caro!

    ResponderEliminar
  9. Exclente post,cheio de humor...

    DS

    ResponderEliminar
  10. Nem de propósito, hoje no Público: http://www.publico.pt/mundo/noticia/tres-homens-forcados-a-abandonar-a-arabia-saudita-por-serem-demasiado-bonitos-1591760?

    ResponderEliminar
  11. Passo a explicar: o que as mulheres gostam num homem é o charme. E o charme é daquelas coisas difíceis de esmiuçar, assim como há certas palavras que não conseguimos traduzir, porque dizem um misto de vários aspectos. Assim, por ex., quando dizem que gostam do olhos, do sentido de humor, das mãos, estão a particularizar. E até se entende que carinhas larocas despidas de personalidade não interessem de todo, são o equivalente daquilo que para os homens pode ser uma "boneca insuflável". :D
    A vantagem, no caso dos homens, é que o charme não vem apenas da forma do rosto ou dos braços musculados, etc., mas do interesse do conjunto... Depois, claro, haverá vários tipos de charme.. ;) Para o comprovar servem aqueles homens que se tornaram verdadeiros sex symbols e que nem sequer são especialmente bonitos. Exemplos? o Humphrey Bogart, o Belmondo ou o Mastroianni

    ResponderEliminar
  12. O que mais me atrai num homem é o tal "je ne sais quoi" (ahahahah), tal como de resto o ouço dizer muito aos homens quando questionados sobre o que mais os atrai numa mulher (pois, pois, eu sei, o "je ne sais quoi" vem depois das mamas, do rabo, e dos olhos, mas se não estiver lá, nada feito, verdade?) :)

    ResponderEliminar
  13. Acho que o joão andou distraido atrás das miúdas giras de portalegre. Se calhar houve muito estafermo a suspirar pelas suas mãos e sentido de humor e o joão nem reparou.

    ResponderEliminar
  14. Sentido de humor e de oportunidade... e um belo traseiro!

    ResponderEliminar
  15. O tema deste post faz-me lembrar o filme "Win a date with Tad Hamilton" (O Ídolo dos Meus Sonhos). A protagonista anda encantada com o famoso Tad, que é ator e que se encanta com ela também. O amigo dela gosta dela e confidencia a outra amiga que não tem hipóteses, pois o rival é o "Tad Hamilton". Esta responde que toda a gente "é" o "Tad Hamilton" para alguém: a outra (a protagonista) é TH dele, ele é TH dela (que está a falar)... No fim, surprise, surprise, a protagonista fica com o amigo de longa data...
    O meu "Tad Hamilton" é o meu marido, graças aos seus olhos, sorriso, mãos, pernas, etc.!

    ResponderEliminar
  16. Na adolescência como só contam as hormonas só importa o aspecto exterior, já quando se tem que conviver, viver, criar uma familia o ser bonito pouco importa...

    ResponderEliminar
  17. Estou contigo João !

    Não partilho das mesmas "experiências" juvenis, pois fui um bocadinho mais abençoado nessa era :P

    Mas de certa forma o que me deixa mesmo intrigado nem é essa questão, nem a falta de transparência do Cromossoma X !

    Vejamos o caso da minha esposa (que está hoje de parabéns), ela adora o Bruce Willis e dá como justificação.... é o que mais se parece com um homem, lol. Pelo no peito barba de 1 dia, não se pode exagerar muito neste aspecto, e nada cá de abrir uma malinha que transporta debaixo do braço para "retocar o cabelo" (isso é coisa de cromossoma X ).

    A mais pura realidade é que nós, somos obrigados a entrar nesta dura luta de nada saber, nada saber o que gostam (o que realmente gostam, não o que dizem gostar), o que querem e no que sonham, pois o que hoje é verdade amanhã já não o será.... e se formos sinceremos (cá entre os homens), diria mesmo que daqui a 1 horita já não o é :P

    Mas gostei do post, já me ri sozinho à conta dele ;)

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  18. Ó João! Deixe lá isso que a beleza não se come à mesa....O Jude Law... huuuummmm. Esse não sei não....

    ResponderEliminar
  19. A beleza ajuda, claro, mas um homem bonito com as mãos feias não me tocava nem com o dedo mindinho! As mãos são muito importantes, sim! :)

    ResponderEliminar