quinta-feira, 28 de março de 2013

O meu gajo só pode estar a gozar. Agora em nova versão, revista, aumentada e comentada


Texto original a redondo.

Nova versão a negro.

A vida da mulher do meu fofo gajo tem destas coisas e ele bem o sabe, até porque as sofre na pele. Andei eu ontem inocentemente (sim, também sou uma bem-aventurada inocente) na minha tristemente habitual roda viva, também conhecida como de um dia normal de trabalho (sim, porque não são só os fofos gajos que gostavam de ter tempo para trabalhar descansados e que têm 19 entradas na sua To Do List, embora tenha de admitir que as deles têm outra pertinência), quando cheguei aceleradíssima do hospital para preparar o jantar com duas irmãs e respectiva prole (o que na família Mendonça significa mais 11 pessoas, no mínimo). Como é hábito, adormeci a dar de mamar à Rita já a hora ia avançada (com o meu fofo gajo a trabalhar esgotadamente ter o seu merecido descanso no vale dos lençóis), e não tive sequer ânimo para visitar o blogue. Donde, não fazia a menor ideia das vis calúnias divertidas verdades que ele andou a postar sobre a minha matemática doméstica.

Hoje, quando acordei, resolvi abrir o computador e... dei de caras com as aparentes injúrias que o meu fofo gajo silenciosamente denodadamente cozinhara no dia anterior. E o pior é que nem tempo tive de exercer imediatamente o meu direito de resposta, e agradecer-lhe tamanha manifestação de inteligência. O dia começava já a acelerar e a escrita não me sai a 100 à hora como ao esgotado, mas sempre incrível, trabalhador acima citado. Donde, tive de esperar até agora. Mas ele não espera pela demora. Como é que é mesmo aquele provérbio? Ah, sim, a vingança serve-se fria! Felizmente, cá em casa há aquecedores, aliás bestiais, todos eles comprados pelo meu lindo maridinho - e sem entrega ao domicílio.

Quer dizer que o meu fofo gajo acha plausível que as compras que surgem nas duas fotos sejam as compras do mês cá de casa? Faz ele muito bem. Querem contas? Então vamos às contas.

Leite: se o caro e fofo gajo lesse os meus posts saberia que a dose de leite diária recomendada para as crianças até aos nove anos é de 500 ml dia. Sim, eu sei que quando é o papá a preparar o pequeno-almoço os miúdos nem a 100 ml têm direito no fundo da taça de cereais, tal é a pressa em pô-los para fora da cozinha. Mas sempre é melhor do que quando é a mamã a prepará-lo, dado o seu talento para colocar o Nestum ao serviço da construção civil e do betume de paredes. A mamã é que é a desmancha-prazeres, que acha que o pequeno-almoço deve ser uma refeição reforçada (uma ideia originalíssima...). E não sei se o meu fofo gajo sabe que... os miúdos também lancham, embora em casa, de facto, só lanchem ao fim-de-semana, porque nos outros dias estão na escola (outra ideia originalíssima...). Bem sei que quando eles ficam sozinhos com o pai nunca têm direito a lanche (a menos que sejam eles a arranjá-lo, já que o pai faz tudo para promover a autonomia dos seus queridos filhos), mas todos os dias bebem a sua segunda dose de leite ao lanche, embora cinco em sete vezes o façam na escola.

Ora, a Carolina até já tem mais de nove anos, embora, na verdade, tenha ainda nove anos (logo, devia beber um pouco mais do que os irmãos, mas esqueçamos isso pois também eu reconheço com grande inteligência ser sou detentora de uma homérica estultícia) e cá em casa há cinco consumidores de leite empacotado (a Rita tem belíssimos pacotes de produção biológica), logo:

0,5 litros x 5 consumidores = 2,5 litros

2,5 litros x 30 dias = 75 litros

Portanto, acha o caro e fofo gajo que os 24 litros de leite meio-gordo da foto são suficientes para o consumo mensal da nossa casa? Claro que não acha, como aliás explicou aqui. Hum... assim à primeira parece-me que nem o triplo chega. Pois não chega, como aliás explicou aquiE onde está o leite magro que a Carolina e a gaja e o fofo gajo consomem? Pois não está, como aliás explicou aqui.

Fraldas e toalhitas: não sei se o caro e fofo gajo já ouviu falar de promoções. Vagamente, imagino, porque ele não tem o mesmo prazer que eu em coleccionar aqueles cupões que nos dão desconto em coisas que não precisamos. Ora, as fraldas e toalhitas Dodots, apesar de serem das mais carotas do mercado, foram pela nossa família eleitas como as preferidas, depois de experimentarmos várias marcas. As grandes superfícies fazem ocasionalmente promoções destes produtos. Coisita assim para 50% de desconto é de aproveitar, lá isso é. E nesse caso não se compram três fraldas/toalhitas mas três caixas delas, o que significa que afinal algumas daquelas compras que se viam nas fotos eram não só do mês, mas de todo o primeiro semestre de 2013. É que me parece que ainda não será para o próximo mês que a Rita abandonará as fraldas, e o meu lindo maridinho que o diga, que está sempre a mudá-las.

Ora, se o que aparece nas fotos são os mantimentos mensais cá para casa, parece-me que vamos começar a passar fome. Felizmente, o meu lindo maridinho nunca escreveu em lado nenhum que aquilo eram os mantimentos mensais cá para casa, já que ele é pessoa para saber que nós não nos alimentamos apenas de salsichas e cogumelos laminados. Ou então, já sei, vamos começar a comer... toalhitas! Ah, ah, ah. As mesmas toalhitas que ele acha que servem para desinfectar as reluzentes e cristalinas partes baixas da Rita. Ou - espera - será que ele estava a utilizar uma figura de estilo? Ali entre a hipérbole e o disfemismo? Não sei, porque eu sou pouco sensível a figuras de estilo sempre que elas colocam em causa o rigor da ciência médica.

Onde estão a carne, o peixe, os ovos, as latas de atum, o arroz, as massas, a farinha, os cereais, as bolachas, o queijo, o fiambre, as frutas, os legumes,... para falar só nas coisas mais consumidas cá em casa? Espera, deixa-me pensar... Não estão! Deve ser por isso que há uma diferença entre dizer que aquelas são compras do mês e dizer que aquelas são as compras todas do mês. Mas não sei, porque eu sou pouco sensível a subtilezas linguísticas sempre que se coloca a hipótese de fazer AH!AH!AH!AH!AH!AH!AH!... na cara do meu lindo maridinho.

E os limpa-vidros (se o caro e fofo gajo não deixa a gaja usar cortinas, porque tem montes de bom gosto, convém que os vidros sejam limpos de vez em quando), detergentes da loiça, os guardanapos, os sabonetes, os champôs, gel duche, pasta de dentes, soros fisiológicos, cotonetes... só para enumerar umas coisitas que costumo comprar mensalmente para fornecer a casa, e com as quais ele alombou anos e anos a fio escada acima?

Onde é que está tudo isso? Ah, não está, tal como ele nunca disse que estava! Já sei. Inspirado no regresso em dia de nevoeiro de El Rei D. Sócrates, o meu excelentíssimo esposo deve ter decidido afinar a graduação dos óculos. Resultado: ficou a ver tão bem como o nosso ex-primeiro-ministro. Já eu, preferi ficar com a consistência dos seus argumentos e com a sua reconhecida qualidade na hora de fazer as contas. O que é muito mais giro.



15 comentários:

  1. Adorei João... grande contra ataque ;)

    ResponderEliminar
  2. ahaha :) desculpe João, mas eu estou com a Teresa: e viva o nestum com consistencia de argamassa - tb adoro!
    Joana N

    ResponderEliminar
  3. Brilhante resposta! Adorei!!!!!!

    ResponderEliminar
  4. Entre tantas outras coisas, adorei o adjectivo extra para os pacotes de leite da Rita!

    ResponderEliminar
  5. Grande Joao. Apenas digo isto: És o
    Maior :)))

    ResponderEliminar
  6. Adorei especialmente o pormenor:

    belíssimos pacotes de produção biológica

    Muito bom! Ahahahaahhahahhah

    ResponderEliminar
  7. João....eu até nem sou de intrigas :) mas este post é capaz de provocar na sua excelentíssima esposa uma vontadezinha de o por de castigo .... há muitas opções...umas mais cruéis que outras ;). Não vai ser uma Páscoa pacífica, João.
    Agora a sério.... na verdade o segredo de um casamento duradouro é o sentido de humor...e vocês são o máximo.
    Mas atenção, até a brincar uma mulher "despeitada" é perigosa. Conselho de mulher..... ande bem fofinho nos próximos tempos :).Obrigada pela partilha.

    ResponderEliminar
  8. Ahahahaha que vocês são um máximo!!!
    Monotonia nao deve realmente faltar. É por isso que não estou com ideias de ter 4 filhos... ;)

    ResponderEliminar
  9. E com os "belissimos pacotes de produção biologica" arrumaste o assunto. Quem fala assim de pacotes que já produziram leite para 4 bebés só merece mimo.

    ResponderEliminar
  10. Bem...este "episódio" surpreendeu-me mesmo !!! Esperava tudo menos isto...que venha o próximo !!! O gajo fofo tem realmente o dom de retorquir...mas cuide-se que a gaja fofa está à espreita !!! Bem hajam.
    Avó Guida

    ResponderEliminar
  11. Na têbê não aparentas ser..... mas tu és GRANDE João !

    eheheheheheh !

    Matemáticas à parte, existe definitivamente uma linha que separa, lol onde é que já ouvi isto, o raciocinio feminino (meticuloso, planeador, em que tudo tem de ser feito de "régua e esquadro) e depois existimos nós ! Nós somos a parte prática da "coisa" !

    Belissimos argumentos, e como fizeste um belissimo "piropo" não haverá castigos, mas continuo com a opinião que te falta aí o argumento Mor do verdadeiro Homem:

    - 500ml de leite são a dose recomendada p/dia para a criança! Aqui por casa os biberões são aquecidos com 250 de leite, e posso garantir que em 90% das vezes lá fica o "módinho" no fundo da caneca (módinho é palavra usada pelos nortenhos para definição de restos alimentares que ficam em vazilhames... modinho no prato, no copo, na caneca, no tacho, e por aí fora).

    Sinceramente só não entendo o tal "fetiche" sobre a ausência de cortinas, certamente será um capricho de alguma parafilia tua João :P (cuidado com isso!)

    ResponderEliminar
  12. Essa das cortinas até a mim me deixou intrigada :)

    ResponderEliminar
  13. ahahahahah muito bom! Até aqui se vê a utilidade de um blog, lavar a roupa suja doméstica de forma mais ou menos pacífica e divertida! Antes aqui que entre 4 paredes, devia ser brutal!
    Como dizia antes, tudo depende da forma como é dito e o humor ajuda e muito, sobretudo de passarmos pela fase crítica do conflito sem explodir!
    E bem me parecia que desta vez o João tinha razão, ele disse que eram as compras do mês, não do mês todo! ;)

    ResponderEliminar